29 de outubro de 2014

Novo espumante rosé da Dunamis é apresentado no Winebar

Nome: Dunamis
Safra: 2013
País: Brasil
Região: Bento Gonçalves
Produtor: Dunamis Vinhos

Uvas/Corte: Malbec 50% e Merlot 50%
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Cortiça
Onde foi comprado: Gentilmente oferecido pelo Winebar/Dunamis
Degustado em: 29 de outubro de 2014
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Quibe e pães árabes
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Possui cor salmão clara. Em boca acidez refrescante e equilibrada com forte presença de sabor frutado. Notas de frutas vermelhas como morango, cereja e groselha se fundem originando um aroma delicado e fino.

Impressões da Rafaela
A Dunamis Vinhos apresentou no Winebar este novo rosé brut. O vídeo completo pode ser acessado aqui. Fiquei bem impressionada. Este espumante é diferente de outros que já provei, parece ter mais corpo, mais personalidade, além de aromas bem presentes, tanto no nariz quanto em boca. Gostei muito. Nas próximas semanas, iremos provar os outros dois vinhos que foram enviados para degustação, os já conhecidos Ar Brut e Ar Moscatel.

Comentário do Claudio
Exame gustativo: A Dunamis é uma novata vinícola brasileira que desde o seu nascimento se propôs a seguir caminhos diferentes. Em geral, seus vinhos e espumantes são fáceis de se beber, sem complicação. Já fizeram pesquisa com consumidores, já lançaram um Merlot vinificado em branco e tivemos a oportunidade de provar durante a última edição do Winebar o último lançamento: um espumante rosé feito de Merlot e Malbec. O mais interessante deste espumante é que ele foge do óbvio. Fácil de beber, ele apresenta notas florais em boca, corpo médio e boa acidez. É um espumante diferente, bem feito e que me agradou muito. Vai funcionar bem com os dias de calor que estão por vir.

28 de outubro de 2014

Uma aula sobre a Chandon proferida pelo bem-humorado François Hautekeur

Chandon Réserve Brut foi o meu preferido entre os quatro espumantes que provei durante a degustação promovida pelo Deli Delícia no último dia 28 de outubro de 2014 aqui no Rio de Janeiro. Experimentei também o Riche Demi-sec, o Brut Rosé e o Passion. A apresentação foi realizada pelo simpático e bem-humorado sommelier François Hautekeur, enólogo oficial da LVMH - aliás, fiquei muito surpresa com a quantidade de marcas que estão sob o guarda-chuva da LVMH.

A Chandon se posiciona como uma marca de luxo. François deu uma aula sobre a Chandon e sobre como a vinícola produz seus espumantes. O aniversário de 41 anos foi no dia seguinte à apresentação, em 29 de outubro. A primeira Chandon foi criada na Argentina em 1959. A unidade brasileira surgiu em 1973, na Serra Gaúcha (Mario Geisse está presente nos primórdios da história da
Chandon). Quem já viajou para Bento Gonçalves, já deve ter passado pela frente da vinícola, que fica na RS-470, entre Garibaldi e Bento.

François nos contou que há mais de 20 anos a Chandon é autônoma, mas a "herança" da matriarca Möet & Chandon pode ser percebida na maneira como as videiras são cultivadas. Os vinhedos da Chandon ficam na Serra Gaúcha e na Serra do Sudeste. De acordo com o sommelier, como a Chandon foi a primeira a chegar à Serra do Sudeste, escolheu a melhor parte. Vale dizer que os espumantes da Chandon têm apenas 30% de uvas próprias. Os outros 70% são comprados de 135 famílias. Todas as garrafas produzidas no Brasil são consumidas no próprio país.

Eu gostei muito da forma como François conduziu a apresentação. Confesso que nunca tinha ouvido um enólogo recomendar decantar um espumante, como ele sugeriu fazermos com o Riche - para parecer mais doce e acompanhar ainda melhor uma sobremesa. Quando provamos o Passion, ele recomendou colocarmos uma pedrinha de gelo, para quebrar um pouco o doce. O que ele quis mostrar, no final das contas, é que o cliente tem que sentir prazer com aquela bebida que está provando.

Ele também deu dicas de harmonização. Anotei algumas, mas o melhor é ir ao site da Chandon, pois lá está tudo bem explicadinho: http://www.chandon.com.br.

Ah, sim, na Deli Delícia, os espumantes custam R$ 65 a unidade.

A apresentação da Chandon marcou a inauguração do mezanino da Deli Delícia como local de eventos. Atualmente, no final da tarde, há um buffet de lanchinhos bem bonitos, que são vendidos a peso (o quilo custa R$ 59). As próximas atividades serão realizadas sempre às quintas, no final da tarde (entre 17h e 18h).

25 de outubro de 2014

Quinta do Monte D'Oiro Reserva 2003, o português do ano

Nome: Quinta do Monte D'Oiro Reserva
Safra: 2003
País: Portugal
Região: Estremadura
Produtor: Quinta do Monte D'Oiro

Uvas/Corte: Syrah 96% e Viognier 4%
Teor alcoólico: 14,5%
Rolha: Cortiça, que se quebrou
Onde foi comprado: Presente do Marcelo e da Carol
Quando foi comprado: -
Degustado em: 25 de outubro de 2014
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Polpettone Voilà com massa caseira
Com quem: Claudio e Rafaela

Impressões da Rafaela
Passei o dia todo em frente ao computador, estudando. À noite, resolvemos fazer uma massa caseira para acompanhar o polpettone Voilà. Este vinho português foi excelente com o prato. Vinho delicioso, que conquista o paladar desde o primeiro gole. Gostei muito.

Comentário do Claudio
Exame visual: Rubi levemente atijolado.
Exame olfativo: Notas de ameixa com pimenta.
Exame gustativo: Belíssimo vinho português. Ganhei no meu aniversário esta garrafa que o Marcelo e a Carol compraram em Portugal. Com 11 anos de vida, o vinho se mostrou evoluído, com as primeiras notas de envelhecimento e no ponto exato para ser bebido, do jeito que gosto. É um vinho feito com um típico corte do Rhône, Syrah com Viognier, muito elegante, corpo médio e gastronômico. Madeira francesa muito bem usada, fez o vinho envelhecer bem. Complexo, rico, taninos muito macios, apresentou notas de especiarias. Evoluiu muito bem na taça. Foi um grande prazer beber este vinho, muita qualidade em taça. Quero provar novamente.

17 de outubro de 2014

Excelente Cabernet Sauvignon norte-americano: Black Stallion 2009

Nome: Black Stallion Estate Winery
Safra: 2009
País: Estados Unidos
Região: Napa Valley
Produtor: Black Stallion Estate Winery

Uvas/Corte: 77% Cabernet Sauvignon e 20% Cabernet Franc
Teor alcoólico: 14,5%
Rolha: Cortiça
Onde foi comprado: Trazido pela Paty dos Estados Unidos
Degustado em: 17 de outubro de 2014
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Pizzas caseiras
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Rich, smooth wine entices with fruity aromas of raspberry jam and plums and is nicely spiced with sarsaparilla, black pepper and chocolate notes.

Impressões da Rafaela
Vinho tão delicioso quanto as pizzas que o Claudio preparou para o nosso jantar. Este foi um dia cheio de atividades, que começou com consulta na dermatologista no Leblon, continuou com compras no CADEG e conversa com uma colega no Centro sobre meu projeto de doutorado. Antes de fazer as pizzas, ainda fomos deixar várias caixas de espumantes em meu trabalho. Na semana seguinte teríamos a troca de direção. Este vinho norte-americano é moderno, com toque de frutas, do jeito que eu gosto.

Comentário do Claudio
Exame gustativo: Mais um vinho que a Paty nos trouxe dos Estados Unidos. Um corte de Cabernet Sauvigon com um pouco de Cabernet Franc, de estilo moderno, lembrando alguns Cabernets chilenos. Em boca, um vinho redondo, com notas de frutas negras maduras, algo adocicado, lembrando ameixa e notas de madeira. Final de boca médio, com algo vegetal aparecendo. Pronto para beber e não precisa decantar, pois com um tempo na taça ele acabou se apagando. Um bom conjunto, é um vinho agradável.

12 de outubro de 2014

Um belo Merlot dos Campos de Cima da Serra: Sopra 2012

Nome: Sopra
Safra: 2012
País: Brasil
Região: Campos de Cima da Serra
Produtor: Vinhedos Entre Rios
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot 100%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente nos enviado pela vinícola
Quando foi comprado: -
Degustado em: 17 de julho de 2014
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: -
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Vinho 100% Merlot, colheita manual. Vinho de tonalidade rubi, intenso, aroma complexo, frutas maduras, sutil eucalipto, de sabor nítido, com notas de geleia e de elevada tipicidade varietal.

Impressões da Rafaela
Vinho de qualidade, especialmente se for considerado que se trata da primeira safra. Gostei bastante. Para acompanhar o vinho gaúcho, nada melhor do que músicas gaúchas. Apresentei ao Claudio Céu, Sol, Sul, clássico cantado pelo Leonardo. Demos também algumas risadas vendo o Guri de Uruguaiana, quer dizer os Guritles, cantar Canto Alegretense.

Comentário do Claudio
Exame visual: Rubi translúcido
Exame olfativo: Nariz um pouco fechado.
Exame gustativo: Quem acompanha o blog, sabe que estamos sempre ligados nas novidades que aparecem vindas da região dos Campos de Cima da Serra. Em janeiro, estivemos em Vacaria e vimos pela primeira vez este vinho por lá. Compramos uma garrafa e infelizmente estava bouchonée. Entramos em contato com a vinícola, que, gentilmente, nos enviou uma nova garrafa, esta que provamos e aprovamos. Esta é a primeira safra vinificada desta novata vinícola e pelo bom resultado deste vinho certamente teremos coisas boas vindas de lá. Vinho de corpo médio, bem feito, apresentando um fruta fresca, frutas vermelhas, elegante, boa acidez e taninos finos. Um vinho muito agradável, sabor limpo, ótimo final de boca. Ainda pode evoluir mais um ou dois anos na garrafa, mas já está bom para beber agora. Fiquem de olho nos vinhos desta vinícola.

11 de outubro de 2014

Fizemos uma harmonização indicada pela Wine, Canepa Sauvignon Blanc e Salmão, confira o resultado

Nome: Canepa Gran Reserva Finíssimo
Safra: 2012
País: Chile
Região: Casablanca
Produtor: Canepa Wines
Importador: Wine.com

Uvas/Corte: Sauvignon Blanc 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Rosca
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente enviado pela Wine.com
Quando foi comprado: -
Degustado em: 12 de julho
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Seguimos a harmonização sugerida pela Wine, salmão com molho de maracujá
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Presenta frescos y perfumados aromas a frutas cítricas y duraznos blancos, con notas a grosellas verdes y frutas tropicales. Es un vino amable y redondo, con una vibrante acidez y un agradable final frutal.

Impressões da Rafaela
Para acompanhar o vinho nos presenteado pela Wine, resolvemos fazer a indicação dela de harmonização: salmão com molho de maracujá. Realmente foi uma boa combinação. O vinho é feito para acompanhar uma comida. Sozinho, ele tem notas verdes bem fortes, gosto vegetal, meio amarguinho. Harmonização aprovada!

Comentário do Claudio
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Em mais uma simpática ação feita pela Wine, recebemos este vinho branco chileno com uma receita de um salmão que harmonizaria muito bem com o vinho. Resolvemos seguir a sugestão e preparamos o prato, um salmão com molho de maracujá. Para acompanhar, este Sauvignon Blanc. Vinho muito típico e que apresenta todas as clássicas características desta cepa no Chile. Acidez bem presente, em boca apresentou notas vegetais, como pimentão verde junto com leves notas adocicadas que davam complexidade ao conjunto. Final de boca bem marcado e intenso. Um vinho muito bem feito e de um estilo que me agrada. A dica de harmonização foi ótima, o molho de maracujá casou muito bem com o vinho, se completavam. Ótima dica!

Gran Lovara 2008 para acompanhar as pizzas no Dia da Pizza

Nome: Gran Lovara
Safra: 2008
País: Brasil
Região: Serra Gaúcha
Produtor: Lovara Vinhas e Vinhos
Importador: Cantu

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 25%, Merlot 60% e Tannat 15%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente enviado pela Cantu, que está distribuindo o vinho
Quando foi comprado: -
Degustado em: 10 de julho de 2014
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pizzas
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Vinho de guarda, bem estruturado, com bom volume de boca, taninos elegantes, notando-se a harmonia entre as cepas que compõem o corte. Linha Super Premium.Análise visual: coloração rubi com boa intensidade. Análise Olfativa: boa complexidade aromática, com presença de aromas frutados e leve toque de carvalho. Descritores: geléia de frutas, cassis, uvas passas, amora, cacau e baunilha. Análise Gustativa: Este vinho apresenta-se bem estruturado, com grande volume de boca, com taninos elegantes notando-se a harmonia entre as cepas que compõem o corte.

Impressões da Rafaela
Lá pelo meio da tarde, li em algum site que este era o dia da pizza. Mandei uma mensagem para o Claudio e segundos depois estava combinado o cardápio do jantar. Não deu tempo de o Claudio preparar as pizzas, então resolvemos pedir uma na pizzaria mais próxima. Ultimamente temos preferido fazer mais comidas em casa. Pelo menos alguns tipos de comidas, como pães, massas e molhos. É muito melhor e mais gostoso. Além disso, sabemos exatamente o que estamos comendo. Este vinho escolhido para esta noite com pizza foi perfeito, muito gostoso.

Comentário do Claudio
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Recebemos este vinho brasileiro importadora Cantu. Seguindo algumas outras importadoras, a Cantu fechou uma parceria com a vinícola Brasileira Lovara com o objetivo de ampliar a distribuição dos vinhos brasileiros em todo o Brasil e intensificar a presença dos vinhos da importadora no Sul do país. O Gran Lovara, vinho top da vinícola, já é um conhecido aqui do blog: provamos a safra 2006 (leia aqui) com ótimo resultado. O 2008 se mostrou um vinho bem feito, com notas de frutas escuras, algo de café, leve nota amadeirada e taninos marcados. Um vinho gastronômico que deve crescer com comida. Vale provar.

10 de outubro de 2014

Emendis Trio Varietal 2012

Nome: Emendis Trio Varietal
Safra: 2012
País: Espanha
Região: Penedès
Produtor: Finca Emendis

Uvas/Corte: 55% Macabeo, 20% chardonnay e 25% muscat
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Sintética e vermelha
Onde foi comprado: Rafaela ganhou de presente do chef Efraim Moraes
Degustado em: 10 de outubro de 2014
Onde bebeu: Na varanda de casa
Harmonizado com: Comida thai
Com quem: Claudio e Rafaela

Impressões da Rafaela
Este vinho me foi presenteado pelo simpático chef do Bistrô Ouvidor, o Efraim Moraes. Comemorei meu aniversário lá com alguns amigos e quando estava indo para casa, ele me entregou uma sacola com um vinho. Fiquei bem feliz! É um vinho leve, gostoso.

Comentário do Claudio
Exame olfativo: Notas frescas e florais
Exame gustativo: Para acompanhar nossa comida thai resolvemos abrir este vinho branco que a Rafaela ganhou de presente do Efraim. Feito de um diferente corte de três uvas, o vinho é muito agradável, corpo leve, repete as notas florais na boca e ainda aparece algo cítrico em seu final. Boa acidez, é um vinho fácil de se beber, sem complicação, fresco e que vai funcionar bem com entradas ou saladas. Gostei.

9 de outubro de 2014

Salton Paradoxo Gewürztraminer, um interessante vinho branco no Winebar

Nome: Salton Paradoxo
Safra: 2014
País: Brasil
Região: Campanha Gaúcha
Produtor: Salton
Importador: -

Uvas/Corte: Gewürztraminer 100%
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Rosca
Preço: R$ 25
Onde foi comprado: Gentilmente nos presenteado pelo Winebar.
Degustado em: 9 de outubro de 2014
Onde bebeu:  Em casa
Harmonizado com: Sushi
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Amarelo palha vivo em sua coloração. Notas florais de rosas, e frutais de pera, lichia, pomeloe abacaxi aparecem no aroma. Seu sabor é leve e refrescante, de agradável permanência no paladar.

Impressões da Rafaela
Vinho extremamente leve. Bom para ser bebido até sem comida. Ótimo custo/benefício. Ele entrega cada centavo pago e ainda sobra um troco. Este foi o primeiro Winebar com transmissão pelo You Tube. Ficamos bem satisfeitos com a qualidade. Quem ainda não conhece o projeto Winebar, recomendo fazê-lo: www.winebar.com.br. É um vinho que vale a pena ter em casa para reuniões com amigos.

Comentário do Claudio
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Mais uma edição do Winebar com a participação da vinícola Salton mostrando suas novidades. A Salton está se especializando em produzir bons vinhos com ótimo custo, perfeitos para quebrar os preconceitos que ainda existe ao vinho brasileiro. Este Gewurztraminer, cepa pouco plantada por aqui, se mostrou muito agradável e bem feito. Vinho leve, aromático, delicado, leve acidez, fácil de se beber e vai agradar a paladares diferentes. Versátil, pode-se bebê-lo sozinho ou serve para acompanhar muito bem alguns pratos de comida. Comemos com sushi de salmão, que combinou perfeitamente. Um vinho descontraído e que vale ser degustado.

Muscadet na varanda

Nome: Chateau du Cléray
Safra: 2012
País: França
Região: Muscadet Sèvre et Maine
Produtor: Chateau du Cléray - Sauvion
Importador: -

Uvas/Corte: Melon de Bourgogne
Teor alcoólico: 12%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: 10,50 euros
Onde foi comprado: Freeshop do aeroporto CDG
Quando foi comprado: Maio de 2014
Degustado em: 05 de julho de 2014
Onde bebeu: Em casa, na varanda
Harmonizado com: Comida Thai
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Le Château du Cléray Sauvion, situé à Vallet au cœur du vignoble est l'une des plus anciennes propriétés de l'appellation Sèvre et Maine. Son terroir silico-argileux donne un Muscadet tardif et séveux.  On dit que le Muscadet "Château du Cléray" doit "faire ses Pâques". Il exhale des arômes de citron, tilleul, menthe et pomme verte. Ce Muscadet savoureux, marqué par son terroir bien particulier et vinifié dans des caves uniques de la région nantaise est la fierté de la Famille Sauvion.
Le Muscadet "Château du Cléray" est présent sur les tables les plus prestigieuses de France et du monde entier. Il est régulièrement récompensé dans les concours.


Impressões da Rafaela
A varanda ainda aguarda o casal presidencial para a inauguração oficial, mas quando o clima permite, adoramos jantar ali. Nesse dia, pedimos a comida thai que gostamos bastante e abrimos este vinho francês que comprei sem pensar muito no aeroporto de Paris. Bom, poderia ter sido melhor se o vinho tivesse mais personalidade. Não chegava a ser ruim, mas é que já bebi alguns muscadets de que gostei tanto, que este me pareceu meio sem graça. É um muscadet para ser bebido sem muitas expectativas.

Comentário do Claudio
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Gosto de beber um Muscadet. Sua acidez marcante em geral deixa os vinhos vivos e vibrantes, bem versátil para harmonizações. Escolhemos esta garrafa para acompanhar nosso jantar de comida tailandesa. O vinho se mostrou sem a vibração esperada para um Muscadet, muito leve e até simples. Como disse a Rafaela, ficou um pouco sem graça. Ficou a vontade de provar um bom Muscadet.

Ironía Rosé 2012 no La Botella

Nome: Ironía Rosé
Safra: 2012
País: Chile
Região: Padre Hurtado, Santiago
Produtor: Odfjell
Importador: World Wine

Uvas/Corte: 100 % Carignan
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Preço: R$ 58,50
Onde foi comprado: La Botella, no Rio
Quando foi comprado: 9 de outubro de 2014
Degustado em: 9 de outubro de 2014
Onde bebeu: La Botella, no Rio
Harmonizado com: Queijos, massa e sanduíche de linguiça
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Bright grenade color, of intense wild strawberry aromas, peaches, red apple juice and cherries. Elegant in mouth, juicy and creamy, with a fresh and pleasant finish.

Impressões da Rafaela
Este foi um vinho meio engraçado: no rótulo dizia se tratar de um rosé, mas a cor parecia mais a de um tinto meio desbotado. Na boca, também não ficava muito claro que vinho exatamente estávamos bebendo. Você pensa num rosé, mas ele é muito mais intenso, lembra mesmo um tinto leve. Não é que seja ruim, mas acho que eu estava esperando um rosé de verdade. Talvez os produtores tenham colocado o nome tentando ser irônicos de alguma forma com os compradores. Vai saber... Fazia um tempão que não íamos ao La Botella. Foi bom matar a saudade deste lugar de que gostamos tanto.

Comentário do Claudio
Exame gustativo: A vinícola Odfjell aumentou a oferta de rótulos no Brasil. É um produtor que faz vinhos consistentes. Gosto do estilo. Em uma noite de outubro, fomos ao La Botella, bar de vinhos em Ipanema de que gosto bastante. Lá vi os novos rótulos disponíveis da vinícola e fiquei curioso para provar este rosé feito da interessante uva Carignan.  É um vinho diferente, que fica no meio do caminho. Sua cor e seu corpo não são de vinhos rosés, ou seja, é um vinho pesado e intenso para ser um rosé e um vinho leve para ser um tinto... Faltou definir uma identidade melhor para o vinho. Provavelmente esta é a origem do nome. Se você for beber este vinho, tente ir de cabeça aberta, sem esperar ser um rosé ou um tinto...

8 de outubro de 2014

Por menos de R$ 15, um Chardonnay brasileiro que surpreende

Nome: Santa Colina Estilo
Safra: 2013
País: Brasil
Região: Santana do Livramento
Produtor: Nova Aliança
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay 100%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça aglomerada
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 14,90
Onde foi comprado: Prezunic, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado:
Degustado em: 03 de julho de 2014
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Peixe com legumes
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Coloração brilhante de pouca intensidade amarelo palha. Aroma intenso com notas de frutas cítricas, pêssego e pera. Em boca é equilibrado, com bom volume e correta acidez. Retrogosto agradável.

Impressões da Rafaela
Garanto que se me perguntassem o preço deste vinho, eu chutaria bem mais alto. Ele é muito bom! Boa acidez (como aprendi com o Alexandre Frias). Neste dia, o escritório onde trabalho mudou para um endereço novo, um endereço ideal. Fizemos um brinde a isso. Torcer para eu continuar gostando deste emprego. :)

Comentário do Claudio
Exame visual: Palha, amarelo clarinho.
Exame olfativo: Nariz fresco com notas de pera e pêssego.
Exame gustativo: Achar um bom vinho por menos de R$ 15 é uma missão difícil. Este Chardonnay da Campanha gaúcha surpreende: um vinho bem feito e agradável, que não vai fazer feio e por um ótimo preço. Chardonnay bem equilibrado, acidez correta, notas de frutas tropicais em boca, algo próximo de maracujá e com notas adocicadas em boca.  Final de boca leve e cítrico, mas presente e um conjunto bem feito. Pelo preço certamente vai alegrar o seu dia a dia.

7 de outubro de 2014

Um brinde com Taittinger

Nome: Taittinger Brut Reserve
Safra: -
País: França
Região: Reims, Champagne
Produtor: Taittinger
Importador: Interfood

Uvas/Corte: Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier
Teor alcoólico: 12%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente oferecido pelo Clovis Taittinger durante evento da Copa
Quando foi comprado: -
Degustado em: 23 de junho de 2014
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Queijos e pães
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
The brilliant body is golden yellow in colour. The bubbles are fine, while the foam is discreet yet lingering. The nose, very open and expressive, delivers aromas of fruit and brioche. It also gives off the fragrance of peach, white flowers (hawthorn, acacia) and vanilla pod. The entry onto the palate is lively, fresh and in total harmony. This is a delicate wine with flavours of fresh fruit and honey.Taittinger Brut Réserve, which acquires its maturity during three and four years ageing in the cellar, offers excellent aromatic potential.

Impressões da Rafaela
A esta altura, nós ainda estávamos acreditando que o final da copa seria mais interessante. Esta foi a vez em que bebi este Champagne e fiquei mais bem impressionada. Estava delicioso. Neste dia, este estava cremoso, com uma leveza que me agrada muito. Noite perfeita!

Comentário do Claudio
Exame visual: Dourado claro, com perlage fina e intensa.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Beber um Champagne é sempre um prazer e o Taittinger te proporciona isto. Feito a partir de um blend de cerca de 35 vinhos-base diferentes, apresenta-se muito delicado, seco e elegante em boca. Notas de frutas branca como pera e maçã verde e boa acidez deixam o conjunto muito agradável. É um espumante que cresce na taça e tem seu final de boca bastante intenso. Vale provar, um ótimo Champagne.

5 de outubro de 2014

Um belo Pinot Noir Sul Africano: Radford Dale Freedon 2010

Nome: Radford Dale Freedon
Safra: 2010
País: Africa do Sul
Região: Elgin
Produtor: Radford Dale and The Winery of Good Hope
Importador: Qual Vinho?

Uvas/Corte: Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Rosca
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 55
Onde foi comprado: Encontros de vinhos Off
Quando foi comprado: Abril de 2014
Degustado em: 21 de junho de 2014
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Queijos, saladinha e baguette
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
This Pinot Noir is characterised by its finesse and poise, rather than power or richness. It owes its mineral elegance to the soils and its aromatic berry generosity and depth of flavour to the wonderful climate of Elgin. This wine shows remarkable intrigue in its complexity and never fails to enchant with its supple, finely textured palate. We take great pleasure in introducing another vintage of Freedom, from one the most exciting wine regions of the Cape winelands.

Impressões da Rafaela
Claudio havia provado este vinho no Encontros de Vinhos Off em São Paulo e gostado. Resolveu então trazer uma garrafa para bebermos em casa. Ótima decisão! Este vinho estava muito bom. Elegante, delicado, saboroso.

Comentário do Claudio
Exame visual: Cor clássica de Pinot Noir, porém levemente turva.
Exame olfativo: Mistura leve de notas frutadas com algo de embutidos.
Exame gustativo: Durante o Encontro de Vinhos Off deste ano em São Paulo, provei alguns bons vinhos da importadora Qual Vinho?. Entre eles, este Pinot Noir da África do Sul. Já não bebia há algum tempo um vinho sul-africano e como tinha gostado deste Pinot, resolvi comprar uma garrafa para outra oportunidade. Pude aproveitar com calma este excelente Pinot: muito equilibrado, elegante e com boas características da cepa. Repete na boca as notas de frutas e algo de defumado ou embutido. Vinho de perfil gastronômico, boa estrutura e muito prazeroso. Fácil de se beber, a garrafa vai rápido. Belo vinho.

4 de outubro de 2014

Para acompanhar a pizza: Annunziata 2009 - Barbera D'Alba

Nome: Annunziata
Safra: 2009
País: Itália
Região: Piemonte
Produtor: Rocche Costamagna
Importador: Ravin

Uvas/Corte: 100% Barbera
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Onde foi comprado: Vinho escolhido pelo Victor Beltrame como prêmio ao Claudio por ter vencido o Bolão da Copa
Degustado em: 4 de outubro de 2014
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pizzas
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
The color is a purple red with violet reflections. On the nose, chery is prevalent folwed by strawbery and raspbery with floral sensations of rose and clasic sugared almond. The palte is oft, warm, vinous, pleasntly balnced. The finsh is persiten, with round otes tha return tochery inthe afteraste.

Impressões da Rafaela
Estava uma noite fria no Rio. Claudio decidiu fazer algumas pizzas de fermentação natural. Escolhemos este italiano e a noite ficou perfeita. Vinho bem leve, gostoso, fez bonito ao lado da pizza deliciosa.

Comentário do Claudio
Exame gustativo: Esta foi a primeira garrafa que abri do resultado da minha vitória no Bolão da Copa do Mundo entre blogueiros. Quem me enviou esta garrafa foi o Victor, do blog Balaio do Victor. Neste dia resolvi fazer umas pizzas e para acompanhar nada melhor que um vinho italiano. E este cumpriu bem o seu papel. Um vinho de corpo médio/leve, com notas defumadas e especiarias. Taninos um pouco duros, cresceu um pouco depois de aberto. Um vinho com personalidade e que harmonizou bem com a pizza. Bom vinho.

2 de outubro de 2014

Comemoração de aniversários com Don Nicanor Bonarda 2010

Nome: Don Nicanor
Safra: 2010
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Nieto Senetiner

Uvas/Corte: Bonarda
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 65
Onde foi comprado: Bistrô Ouvidor, em Botafogo, no Rio
Quando foi comprado: 2 de outubro de 2014
Degustado em: 2 de outubro de 2014
Onde bebeu: Bistrô Ouvidor, em Botafogo, no Rio
Harmonizado com: Pratos diversos
Com quem: Claudio, Rafaela, Carlinhos, Ricardo, Tito, Raquel, Miguel, Paula, Maria Claudia e Maria

Comentário do Produtor
Vinho intenso e concentrado, de cor vermelha cereja com matizes violáceos. Em harmoniosa combinação com seu característico aroma a morangos e framboesas, ressaltam suas notas de chocolate e tabaco. Untuoso e complexo, deixa uma longa lembrança na boca, onde são destaque seus taninos maduros incorporados durante sua passagem por madeira.

Impressões da Rafaela
Ultimamente o tempo parece estar tão escasso que os únicos momentos em que conseguimos nos reunir acaba sendo nos aniversários. Desta vez, comemoramos o meu e o da Maria Claudia. Escolhemos o Bistrô Ouvidor, por ser perto de casa e por gostarmos bastante. Foi uma noite animada e o vinho harmonizou com o clima de descontração.

Comentário do Claudio
Exame gustativo: Este vinho foi uma indicação do Efraim do Bistrô Ouvidor. Estivemos por lá com alguns amigos da minha faculdade para comemorar os aniversariantes de setembro. Um vinho bem interessante, com boa estrutura, notas de frutas negras maduras. Em boca tem força, mas sem exageros. Um vinho que agradou a todos na mesa.Tanto que resolvemos pedir uma segunda garrafa. Foi interessante observar que a segunda garrafa do mesmo vinho estava diferente, menos interessante. De qualquer forma é um vinho que vale ser conhecido, de uma cepa bastante interessante que é a Bonarda.

Salton Parodoxo - Merlot 2012 #winebar

Nome: Salton Parodoxo
Safra: 2012
País: Brasil
Região: Tuiuti, Bento Gonçalves
Produtor: Vinícola Salton
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente nos enviado pelo Winebar
Quando foi comprado: -
Degustado em: 16 de junho de 2014
Onde bebeu: Em casa, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Legumes e empanadas
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Sua coloração é rubi com nuances violáceos. Notas de pimentas, frutas negras frescas, tabaco, frutos secos e carvalho surgem no seu aroma, denotando um agradável equilíbrio entre o vinho e a madeira. Em boca, tem uma adstringência equilibrada, com a estrutura própria da variedade, e uma permanência marcada por sabores do carvalho.

Impressões da Rafaela
A semana sempre começa melhor quando tem Winebar. Andamos um pouco desorganizados com nossa alimentação e o começo da semana nos pegou meio despreparados. Ainda assim, conseguimos salvar nosso jantar com legumes cozidos, complementados por empanadas que ainda tínhamos no freezer. A comidinha improvisada foi muito bem com o vinho muito bem feito que abrimos. Como os vinhos chegaram no mesmo dia, acabamos não conseguindo gelar o espumante. Pretendemos experimentá-lo, assim como o outro vinho nos enviado, nos próximos dias. Estamos muito satisfeitos com estas novas séries lançadas pela Salton. São produtos de qualidade com ótimo preço.

Comentário do Claudio
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Provamos este vinho durante a degustação on-line promovida pelo Winebar.  Mais uma boa surpresa produzida pela Salton na faixa de preço de R$ 25. Um Merlot com uvas da Campanha que geram um vinho de boa fruta em boca, sem arestas, acidez agradável e corpo médio. Um vinho fácil de se beber e com posicionamento de preço muito acertado. Bom vinho para o seu dia-a-dia, vale provar.

1 de outubro de 2014

Italianos e francês no jantar em homenagem ao Helton

Nome: Castiglioni / Zuccolo / Reflet du Terroio
Safra: 2010 / 2013 / 2008
País: Itália / Itália / França
Região: Chianti / Friulli / Madiran
Produtor: Frescobaldi / Zuccolo / Château Laffitte-Teston
Importador: Vila Porto / Wine / -

Uvas/Corte:  90% Sangiovese e 10% Merlot / 100% Merlot / 80% Tannat, 10% Cabernet Sauvignon, e 10% Cabernet Franc
Teor alcoólico: 13% / 12,5% / 13%
Rolha: Cortiça 
Quando foi comprado: Gentilmente oferecido pelo Helton e por Tiago e Débora
Degustado em: 1º de outubro de 2014
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: massas caseira com molho pesto, tomate e linguiça
Com quem: Claudio, Rafaela, Helton, Débora e Tiago

Impressões da Rafaela
Fazia um tempão que não nos encontrávamos com o Helton. Aproveitamos sua vinda ao Rio para convidarmos também nossos vizinhos Débora e Tiago para jantar. Como sempre, a conversa rendeu. Sempre fico feliz em conversar com o Helton e perceber seu jeito de ver o mundo como um engenheiro.

Comentário do Claudio
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Sempre que o Helton vem ao Rio ,ele entra em contato conosco e quase sempre conseguimos nos encontrar para bebermos um vinho juntos. Desta vez convidamos também o Tiago e a Débora para jantar aqui em casa. Preparamos uma massa caseira com alguns molhos. O Helton trouxe um vinho que foi certeiro. O Chianti que ele escolheu para a noite, além de estar muito agradável, harmonizou perfeitamente com o jantar. O Castiglioni faz parte do portifólio de vinhos da Frescobaldi, uma grande vinícola italiana que tivemos a oportunidade de visitar quando estivemos na Toscana. Um Chianti redondo, com boa fruta, elegante. Um vinho sem arestas. Foi uma noite muito agradável na companhia dos amigo

Peruzzo Cabernet Franc 2012, boa surpresa da Campanha Gaúcha #cbe

Nome: Peruzzo
Safra: 2012
País: Brasil
Região: Bagé, Campanha Gaúcha
Produtor: Vinícola Peruzzo

Uvas/Corte: Cabernet Franc100%
Teor alcoólico: 13,9%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 59,00
Onde foi comprado: Bergut
Quando foi comprado: 19 de setembro de 2014
Degustado em: 16 de junho de 2014
Onde bebeu: Em casa, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Polpettone Voilá com massa caseira
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
A vinícola Peruzzo se propôs a recuperar a variedade Cabernet Franc, introduzida no Brasil nos anos 70 e posteriormente abandonada, acreditando em toda sua capacidade de adaptação ao terroir da Campanha Gaúcha e sua potencialidade para elaborar vinhos tintos frescos, ligeiros, amáveis e envolventes. E essas características constituem o maior atributo deste vinho Cabernet Franc Peruzzo, saboroso e fácil de beber. A cor é vermelha rubi de boa intensidade, brilhante, seus aromas são refinados, intensos, lembram frutas frescas e o sabor é agradável, intenso e marcante.

Impressões da Rafaela
Bem gostoso este vinho que o Claudio comprou escondido. Aproveitou que eu fiquei fora durante a semana para aparecer com uma garrafa nova. Temos vinhos para vários anos em nossa adega, mas de vez em quando ele não resiste. Este é um vinho bem gostoso.

Comentário do Claudio
Exame visual: Rubi intenso
Exame gustativo: Para quem gosta de um bom Cabernet Franc como eu, vai se surpreender com este vinho. Feito com uvas da região de Bagé, na Campanha Gaúcha, sob a supervisão do mestre Adolfo Lona, este vinho mostra muitas qualidades. Tendo paladar bastante original e com personalidade, mostra no início notas achocolatadas e com leve nota vegetal característica da cepa. Vinho muito bem feito, perfil jovem, intenso em boca, evoluiu com um tempo aberto. Em taça, abrindo notas de frutas maduras, ficando mais amável. Final de boca intenso com notas vegetais. Uma novidade no mercado que devemos ficar de olho. Este vinho mostra uma boa adaptação da Cabernet Franc na região de Bagé. vale prestar a atenção às próximas safras deste vinho. Recomendo. Ele é vendido na vinícola por cerca de R$ 35. Aqui no Rio, porém, custou R$ 59. Acredito que a marcação poderia ter sido mais favorável aos consumidores.

Salton Gerações Paulo Salton 2009

Nome: Salton Gerações Paulo Salton
Safra: 2009
País: Brasil
Região: Tuiuti, Bento Gonçalves
Produtor: Vinícola Salton
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 40%, Merlot 40% e Cabernet Franc 20%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente nos enviado pelo Winebar
Quando foi comprado: -
Degustado em: 13 de junho de 2014
Onde bebeu: Em casa, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Massa com molho de tomate e pesto
Com quem: Claudio, Rafaela e Claudine

Comentário do Produtor
Bouquet complexo com aromas tostados de amêndoas, nozes, tabaco e chocolate, de frutas em compota e frutas negras (amora, mirtilo, ameixa), possui um ataque ao paladar suave pelos seus taninos maduros e o sabor muito prolongado.

Impressões da Rafaela
Para finalizar uma semana pesada, um jantar em boa companhia. Claudine está na cidade para atender a uma questão familiar e aceitou nosso convite para jantar. Preparamos a massa e o molho enquanto conversávamos. O vinho é realmente muito bom, gostei muito. Recebemos este e outros vinhos da Salton nas últimas edições do Winebar e todos os que provamos têm se mostrado ótimas opções. São vinhos muito bem feitos e com preços bem convidativos. Este é uma edição especial, com produção limitada, feito com as melhores uvas. Vale a pena experimentar.

Comentário do Claudio
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Mais um vinho que recebemos para a degustação do Winebar, rótulo da linha top da vinícola que faz uma homenagem a Paulo Salton, um dos fundadores da vinícola. Nesta noite convidamos a Claudine pra jantar conosco, preparamos uma massa e resolvemos provar este vinho brasileiro. Vinho muito bem feito, taninos redondos e elegantes, boa acidez que dá um caráter gastronômico. Já está pronto para beber apresentando certa complexidade. Bom final de boca. Bom vinho, belo trabalho feito pela Salton.